Wednesday, November 12, 2008

“O amor pela liberdade trouxe-nos até aqui”

“Terra da liberdade” é o significado de Libéria. O país nunca foi colônia. Fundado em 1847 para dar um destino aos escravos libertos no país e evitar conflitos raciais e com um lema: "O amor pela liberdade trouxe-nos até aqui". O nome da capital do país, Monróvia, é uma homenagem a James Monroe, Presidente dos EUA na época de sua criação.
Conflitos marcaram a história da Libéria desde sua origem. Isso se deveu, em parte à concentração de poder político e riqueza nas mãos dos ex-escravos e seus descendentes. Em 1980 ocorreu um golpe de estado liderado pelo sargento Samuel Doe. . Doe permaneceu no poder por 10 anos durante os quais houve crescimento da inflação, do desemprego e de violações dos direitos humanos Em 1990, enfrentou uma guerra civil, liderada por Charles Taylor, que o retirou do cargo.
A Libéria passou a ser governada então pelo líder do movimento revoltoso, Charles Taylor, acirrando os conflitos internos no país. Em 1999 eclodiu uma nova guerra civil, que levou Taylor a se refugiar na Nigéria em 2003, antes de ser preso em 2006 e encaminhado para julgamento na Corte de Haya, na Holanda, sob acusação de ter cometido crimes contra a humanidade.
Estima-se que, em 14 anos de guerra, mais de 270 mil pessoas tenham morrido e centenas de milhares tenham se refugiado. Estradas, portos, indústrias, sistema de comunicação e edificações foram destruídos. Embora seja rica em recursos naturais (terras férteis; minérios como ferro, diamante e ouro; borracha e madeira), a Libéria entrou em um acentuado processo de empobrecimento, uma vez que a instabilidade impedia o desenvolvimento das atividades produtivas.
Adaptei este texto do site Odebrecht Informa.



Guerra com paus e pedras ?
Isso foi o que pensei quando cheguei aqui. O país está destruido, não possui infra-estrutura básica, há desnutrição, fome, falta de sistema sanitário básico, educação se re-estruturando e tudo mais o que você pode pensar de negativo... Porém já ouviram falar do Senhor das Armas? Um traficante de armas Ucraniano que ficou milionário patrocinando guerras pelo Oriente Médio, Leste Europeu e Africa! Então, no próprio filme e livro há um destaque para o que ele fez aqui na Libéria. A guerra aqui era com armamento pesado. Morteiros cruzavam a capital Monrovia enviados pelos grupos rivais, granadas explodiam os jipes com metralhadoras alocadas no carroceria e daí pra pior...

Dois lados da moeda
Sempre conversando com nossos motoristas e outros locais que trabalham conosco, ouvimos sempre os dois lados da história. Ainda hoje há os que apoioam um líder ou outro. Os que preferiam o tal de Taylor ou o sargento Doe. Porém estar num país que acabou de sair de uma guerra, possibilita enxergarmos como que ela destroiu tudo que viu pela frente. Desde a infraestrutura até a alma do povo liberiano.


A situação atual

Hoje as Nações Unidas mantem tropas por todo o país para garantir a paz. O estado liberiano ainda não possui exército formado. Empresas começam a apontar no país, explorando seus recursos e ajudando em sua reconstrução.


Alimentação
A questão da alimentação é complicado. O arroz é a comida básica da Liberia... e quase única. É o café da manhã, almoço e janta. Misturada a um oléo de coco e com pequenos pedaços de carne. Tem muita mandioca também, mas eles comem pura ou batida. Nossos trabalhadores sempre nos oferecem a comida deles. Ela cheira até bem, porém acho q se colocar isso na boca fico passando mal por toda semana.
OBS.Um saco de arroz custa 50 doláres americanos. E pelo que andei convernsado, o salário aqui é de 100 a 400 usd.

Higiene.
É crítico. Número 1 ou 2 é tudo no mato. Não existe sistema sanitário nas “cidades”. Nas vilas, é a mesma é pior. A comida, quando limpa, é com uma água com procedência de algum riacho perto. Aí já da pra perceber o ciclo que se cria...
O problema: O povo aqui, no momento que eles enxergam vc como, podemos dizer, um amigo; eles passam a dar um aperto de mão todo cheio de movimentos... Ou seja .. como sou um cara gente boa .. comprimento metade do País .. e pelo que vcs leram aqui em cima .. já da pra ver que não me sinto confortável.
A solução: Recebi do recursos humanos um gel desinfectante.

Educação
Metade da população não sabe ler. Um dia, com um dos nossos trabalhadores, perguntei o nome de um planta. Ele me respondeu Dunty Tree, e pedi para ele soletrar... ele não sabia ... Juro que fiquei meio chateado. Mas isso é algo ainda bem comum. Por outro lado, por todo canto tem uma escolinha – bem simples, é verdade – mas é algo que demonstra por onde uma recontrução deve começar. Um dia pedi para um menino que tava passando seu caderno para dar uma olhada. O que li pagou o meu dia:
Anotações sobre higiene, sobre a importância de estudar, de respeitar o mais velhos e por ai vai ...

“Cidades” e Infra Estrutura
O motivo das aspas é o seguinte: Não tem como chamar a vila aí de baixo de cidade. Mas aqui eles chamam... É uma típica vila liberiana, na qual vivem famílias mais próximas e é comandada por um líder. Se são maiores possuam uma escola ou a cada 3 vilas há uma.
Há cidades também, como a capital do estado em que está o acampamento da Odebrecht – Buchanan. Mas essa cidade parece Barra de São Francisco no Espírito Santo depois de ter sido esquecida no tempo .. É uma mistura de estruturas destroidas, com casas de maderias, de bambús e de barro. SO há uma rua alfaltada e há energiaelétrica apenas no prefeitura, na rádio e mais alguns poucos estabelecimentos ( através de geradores ). Como já disse acima, Buchanan não possui rede de água encanada nem esgoto. Poços artezeanos abastecem as vilas e as cidades.




O Liberiano
Um povo que está aprendendo a viver novamente, tomo a liberdade de falar. Vi coisas por aqui que ja me assustaram... e ouvi também .... mas tudo isso, volto a afirmar, foi fruto de quase 15 anos de guerra intermitente. As vezes achamos eles, preguiçosos, malandros ( parece com algum lugar que vc conhece? ); ou meio lentos e daí pra pior... Porém são prestativos, as vezes nos surpreendendo com pró-atividade. São marcados pela guerra, possuem nos gestos estes traços – desde da forma com que olham para você ou da forma com que respondem a uma ordem. Complicado mesmo é quando os corrigimos de forma mais rígida e imploram por desculpas de uma forma até constrangedora. E quando passam pela gente e os cumprimentamos, levantam as duas mãos como se não estivessem carregando nenhum objeto que possa te fazer mal J Mas é um povo que tem ainda muito a se desenvolver e muita gente está aqui para ajudar ...




Cultura
Aqui na Libéria é falado até onde eu sei mais de 6 dialetos até onde eu sei. Há mais de 16 tribus além dos américo-liberianos. Devido a tudo isso, o que vemos na rua são homens e mulheres carregando bacias com raizes, frutas, plantas, carvão ... para vender nas feiras e ao seu lado uma crinança vestindo uma camisa do 50 cent. Estas feiras são comuns no país, ocorrem praticamente todos os dias, em lugares diferentes no estado, de forma a possibilitar o comércio nas região. Um fato interessante é que as pessoas vão ANDANDO, as vezes mais de 30 km, para chegar a uma feira e vender umas bananas ... Vou continuar a falar mais sobre cultura depois .. pq vem muita coisa pela frente ...como um dos problemas graves por aqui – a Mutilação Genital.





O Trabalho
Ta pesado e puxado. Porém, sempre como alto aprendizado e voltando a dizer - Único! Estou com mais responsabilidades uma vez que o barreira da lingua diminui junto aos engenheiros brasileiros, entretanto estamos sempre juntos. Atualemnte começamos a nivelar a linha, e a alinhá-la. Aqui já trabalhamos ou vamos trabalhar com AMV ( aparelhos de mudanças de via ), pontes, descarregamento de lastro, socaria e nivelamento da linha, alinhamento, pregação parcial e total e sempre vindo mais. Tudo isso envolvendo uma alta logística de materiais, máquinas e pessoas. O sistema de produção tem e deve fluir...







Divertimento
O pessoal da Odebrecht ta nota 10. Todo mundo muito prestativo. Bons amigos e ótimos colegas de trabalho - falando dos Brasileiros :) . Nos domingos vamos a praia ( como sempre ), recentimente fizemos um churrasco cuja única mulher era a cabrita assada e estamos marcando uma rodada boa de camarão.







Agradecimento
Mas apesar de tudo, continuo a falar que essa experiência ta valento muito a pena. O trabalho na ferrovia ta indo bem, to aprendendo muito com os melhores, a convivência com todos os colegas de trabalho está muito boa e estou dando o meu melhor. Com toda certeza isto trará um ótimo retorno na vida vida pessoal e profissional.




Para terminar, ontem, segunda feira 10/11, uma senhora me parou e me disse: Thank you very much for you job. ( Muito Obrigado pelo seu trabalho ) – Recebendo este comentário de uma pessoa que nunca havia visto e com tanta sinceridade como ocorreu, fez com que todo meu cansaço dessaparecesse me enchendo de ânimo.

Abri um sorriso e agradeci...



Quem gosta do Tio Floriano levanta a mão !!!

5 comments:

Augustto said...

OMG! This blog is so nice to keep us relatives updated about your african life. Oh! how I wish we were closer!!
Congratulations for you work on there, it's such a beautiful thing what you're doing in there; it's more than a track-building...
You must be complimented for your "social" work!
I love you, cousin!!!
XOXO!!

Gutto

Amanda @BH said...

Ei, Floriano!
Ao receber seus emails pela Aiesec, resolvi dar uma passadinha no seu blog, apesar de nao te conhecer nem nada...
Incrivel essa jornada, hein! Mto bacana o q vc tá fazendo por aí.. E agora conheço um pouquinho melhor a Libéria! =]
Tudo de bom pra vc!

Beijos!

João Felipe said...

"Quem gosta do Tio Floriano lvanta a mão!"uhauhauahuah
Só vc mesmo, Floriano. Mas eu vi uns dois alí no canto que até olharam pro outro lado.rsrs
Muito interessante a sua experiência. Me faz querer ter experiências deste tipo tbm. Parabéns por ter aceitado mais esse desafio na sua vida, obrigado por compartilhar conosco e volta logo, pq vc faz falta por aki.
Grande abraço e viva o RH (vou anotar essa do gelzinho pras mãos...não ensinam isso na faculdade.hehehe).

JOHN

Michelle said...

Adorei teu blog! Muito legal essa tua experência!
Eu estou na Índia fazendo meu traineeship...
Abraco

Paloma said...

OI Floriano,
Sou Paloma, namorada de Cássio.
Te encontrei no orkut dele e dei uma lida no seu blog.
Show de bola, agora sim fiquei por dentro da Libéria.
Ohh, me faz um favor, não deixa ele fazer o tour em Monrovia n e nem conhecer a boite, ok?? :)

Bjo e prazer!